Performance instalativa que representa uma espécie de jogo de tabuleiro em escala humana.

O visitante, ao ingressar, recebe um livreto em branco, do tamanho de um passaporte é orientado a caminhar seguindo linhas coloridas no chão e começa a receber instruções, em tom categórico, dos guardas presentes. É ordenado a passar randomicamente por postos de serviços, onde vai responder a perguntas e receber carimbos em sua caderneta-passaporte. Tudo é aleatório, com atividades que não fazem muito sentido, lembrando nossa estada em algumas organizações como consulados, repartições públicas, bancos, aeroportos.

Ao sair a pessoa leva consigo o caderninho, que é o registro da visita à obra. Cada participação será sempre diferente uma da outra, visto que nada segue um roteiro determinado.

Organização